Vulcões

Monte Vesúvio - Itália



Imagem do Monte Vesúvio e da Baía de Nápoles

Um panorama do Golfo de Nápoles, na Itália, mostrando a alta densidade populacional e o comércio. Mt. O Vesúvio descansa silenciosamente ao fundo.

Introdução ao Monte Vesúvio

O Vesúvio é o único vulcão ativo na Europa continental e produziu algumas das maiores erupções vulcânicas do continente. Localizado na costa oeste da Itália, tem vista para a baía e a cidade de Nápoles e fica na cratera do antigo vulcão Somma. O Vesúvio é mais famoso pela erupção de 79 DC que destruiu as cidades romanas de Pompéia e Herculano. Embora a última erupção do vulcão tenha sido em 1944, ainda representa um grande perigo para as cidades que o cercam, especialmente a movimentada metrópole de Nápoles.

Seção transversal tectônica de placas simplificada

Seção transversal simplificada de placas tectônicas mostrando como o Monte Vesúvio está localizado acima de uma zona de subducção formada onde a placa africana desce abaixo da Itália. O magma produzido a partir da derretida chapa africana cria os grandes vulcões violentamente explosivos da Península Italiana.

Mapa: Onde fica o Vesúvio?

Mapa mostrando a localização do Monte Vesúvio, na costa oeste da Itália. Mapear por e MapResources. Vulcões próximos: Etna, Stromboli

Monte Vesúvio: configuração tectônica de placas

O Vesúvio faz parte do arco vulcânico da Campânia, uma linha de vulcões que se formou sobre uma zona de subducção criada pela convergência das placas africanas e da Eurásia. Essa zona de subducção se estende por toda a península italiana e também é a fonte de outros vulcões como o Monte Etna, os Campos Phlegraean (Campi Flegrei), Vulcano e Stromboli. Sob o Vesúvio, a parte inferior da laje subdividida foi rasgada e separada da parte superior para formar o que é chamado de "janela da laje". Isso faz com que as rochas do Vesúvio sejam ligeiramente diferentes quimicamente das rochas que surgiram nos outros vulcões da Campânia.

Elenco de gesso: vítimas da erupção de 79 d.C.

Gesso lança pessoas que morreram na cidade de Pompéia durante a erupção do Monte Vesúvio em 79 dC Eles foram enterrados pela queda de cinzas. Imagem: Jardim dos Fugitivos. Esta foto foi tirada por Lancevortex e é distribuída sob uma licença GNU Free Documentation License.

Geologia e perigos do Monte Vesúvio

O cone conhecido como Monte Vesúvio começou a crescer na caldeira do vulcão Mount Somma, que entrou em erupção há 17 mil anos. A maioria das rochas que saíram do Vesúvio são andesitas, uma rocha vulcânica intermediária (cerca de 53-63% de sílica). A lava andesita cria erupções explosivas em várias escalas, o que faz do Vesúvio um vulcão especialmente perigoso e imprevisível. Erupções estombolianas (explosões de magma de uma piscina no conduto do vulcão) e fluxos de lava do cume e fissuras nos flancos são relativamente pequenos. As erupções plinianas (enormes explosões que criam colunas de gás, cinzas e rochas que podem subir dezenas de quilômetros na atmosfera) têm um alcance muito maior e destruíram cidades antigas inteiras perto do Vesúvio com enormes quedas de cinzas e fluxos piroclásticos. Atualmente, o Vesúvio está quieto, com apenas uma atividade sísmica menor (terremoto) e gases de fumarolas em sua cratera do cume, mas atividades mais violentas podem ser retomadas no futuro.

Ruínas na antiga cidade de Pompéia

Colunas de tijolos estão entre as ruínas da antiga cidade de Pompéia.

Erupção do Vesúvio (1944)

Vista de Nápoles no auge da erupção do Monte Vesúvio em 1944. Uma fotografia de Melvin C. Shaffer usada com permissão da Southern Methodist University CUL Digital Collections.

Você sabia?
A erupção do Vesúvio em 79 dC é o motivo pelo qual os vulcanologistas usam "Plinian" para descrever grandes nuvens de erupção vulcânica. Plínio, o Jovem, um historiador romano que testemunhou a erupção de 79 DC, escreveu a descrição sobrevivente mais antiga da nuvem alta e em forma de árvore que se elevava acima do vulcão. Os vulcanologistas modernos usam o termo para descrever erupções violentas de grande volume que produzem nuvens de rocha, cinzas e gases que se expandem rapidamente e que se elevam muitos quilômetros na atmosfera. Alguns exemplos mais recentes de erupções plinianas incluem o Monte St. Helens em 1980 e Pinatubo em 1990. Aqui está a descrição de Plínio…
"No dia 24 de agosto, no início da tarde, minha mãe chamou a atenção do meu tio para uma nuvem de tamanho e aparência incomuns. Sua aparência geral pode ser melhor expressa como sendo como um pinheiro-guarda-chuva, pois atingiu uma grande altura em uma espécie de o tronco e depois se partiu em galhos, imagino porque foi empurrado para cima pela primeira explosão e depois deixado sem apoio à medida que a pressão diminuiu, ou então foi derrubado por seu próprio peso para que se espalhasse e se dispersasse gradualmente. branco, às vezes manchado e sujo, de acordo com a quantidade de terra e cinzas que levava. "

Monte Vesúvio: História da Erupção

O Monte Vesúvio sofreu oito grandes erupções nos últimos 17.000 anos. A erupção de 79 dC é uma das erupções antigas mais conhecidas do mundo e pode ter matado mais de 16.000 pessoas. Cinzas, lama e rochas dessa erupção enterraram as cidades de Pompéia e Herculano. Pompeia é famosa pelos elencos, as cinzas quentes formadas em torno das vítimas das erupções. As pessoas infelizes sufocavam nas cinzas no ar, que as cobriam e preservavam detalhes surpreendentes de suas roupas e rostos.

Fatos sobre o Monte Vesúvio

Localização:Costa oeste da Itália
Coordenadas:40 ° 49 'N 14 ° 26' E
Elevação:1.281 m (4.000 pés)
Tipo de vulcão:Complexo
Última erupção:1944
Vulcões próximos:Etna Stromboli

A partir de 1631, o Vesúvio entrou em um período de constante atividade vulcânica, incluindo fluxos de lava e erupções de cinzas e lama. Erupções violentas no final dos anos 1700, 1800 e início de 1900 criaram mais fissuras, fluxos de lava e explosões de cinzas e gases. Eles danificaram ou destruíram muitas cidades ao redor do vulcão e às vezes mataram pessoas; a erupção de 1906 teve mais de 100 vítimas. A erupção mais recente foi em 1944 durante a Segunda Guerra Mundial. Causou grandes problemas para as forças aliadas recém-chegadas na Itália, quando cinzas e rochas da erupção destruíram aviões e forçaram evacuações em uma base aérea próxima.

Mais informações sobre o Vesúvio
Site do Programa de Vulcanismo Global da Instituição Smithsonian: página do Vesúvio.
Gates, A.E. e Ritchie, D., 2007, Encyclopedia of Earthquakes and Volcanoes, Terceira Edição: New York, NY, Checkmark Books, 346 p.
Osservatorio Vesuviano (Observatório do Vesúvio), Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia.
Wortel, M.J.R. e Spakman, W., 2000, Subdução e desprendimento de placas na região mediterrânea-Cárpatos: Science, v. 290, n. 5498, p. 1910-1917. Revisão (texto completo na assinatura).
As Cartas de Plínio, o Jovem, Clássicos dos Pinguins (traduzido por Betty Radice).

Sobre o autor

Jessica Ball é uma estudante de graduação no Departamento de Geologia da Universidade Estadual de Nova York em Buffalo. Sua concentração é em vulcanologia, e atualmente ela está pesquisando colapsos de cúpulas de lava e fluxos piroclásticos. Jessica obteve seu diploma de bacharel em ciências pelo College of William and Mary e trabalhou por um ano no Instituto Geológico Americano no Programa de Educação / Extensão. Ela também escreve o blog Magma Cum Laude e, em seu tempo livre, gosta de escalar e tocar vários instrumentos de cordas.